quinta-feira, 29 de junho de 2017

☜♡☞..."QUANDO O AMOR TOCA"...☜♡☞


Quando o amor toca o nosso coração
os nossos sonhos se misturam, tornam-se um só.
Parecem duas vidas revestidas em uma só pele
que se encaixam perfeitas, vivem o mesmo sonho.
Assim, mistura-se o teu sonho no meu sonho
e então sonhamos tão iguais…
Quando o amor toca o nosso coração
A gente caminha na mesma estrada,
na mesma direção..
De mãos dadas, pés descalços sobre o mesmo Sol.
andamos sem rota, sem lenços e documentos
apenas querendo chegar em algum lugar que a nós
pouco importa onde, se estivermos juntos.
O mundo para, não cabe mais ninguém, só nós
fica sendo um mundo colorido para dois.
A gente não sabe mais decifrar o brilho do sol,
da lua e das estrelas, tudo é tão lindo.
Nossas vidas se acondicionam juntas na ampulheta
do tempo.
Deixamos de nos preocupar com as horas,
minutos, segundos
O ontem, o hoje e o agora tornam-se tão iguais,
só queremos viver intensamente este amor.
Quando o amor toca o nosso coração
tudo se torna uma linda poesia de amor.
Sua voz, seu sorriso soa como uma canção.
Canção esta, que me marcará para sempre
e que certamente dormirá junto aos meus sonhos
Quando o amor tocar o meu coração.

__JOE LUIGI__

☜♡☞...☜♡☞

☜♡☞...☜♡☞

domingo, 25 de junho de 2017

☜♡☞...VOCÊ SABE OU VOCÊ SENTE?...☜♡☞



Você já reparou o quanto as pessoas falam dos outros?
Falam de tudo.
Da moral, do comportamento, dos sentimentos,
das reações, dos medos, das imperfeições, dos erros,
das criancices, ranzinzices, chatices, mesmices, grandezas,
feitos, espantos.

Sobretudo falam do comportamento.
E falam porque supõem saber.
Mas não sabem.
Porque jamais foram capazes de sentir como o outro sente.
Se sentissem não falariam.

Só pode falar da dor de perder um filho,
um pai que já perdeu,
ou a mãe já ferida por tal amputação de vida.
Dou esse exemplo extremo porque ele ilustra melhor.
As pessoas falam da reação das outras e do
comportamento delas quase sempre sem jamais terem
sentido o que elas sentiram.

Mas sentir o que o outro sente não significa sentir por ele.
Isso é masoquismo.
Significa perceber o que ele sente e
ser suficientemente forte para ajudá-lo
exatamente pela capacidade de não se contaminar
com o que o machucou.

Se nos deixarmos contaminar (fecundar?)
pelo sentimento que o outro está sentindo,
como teremos forças para ajudá-lo?
Só quem já foi capaz de sentir os muitos sentimentos do mundo é
capaz de saber algo sobre as outras pessoas e aceitá-las,
com tolerância.

Sentir os muitos sentimentos do mundo não é
ser uma caixa de sofrimentos.
Isso é ser infeliz.
Sentir os muitos sentimentos do mundo é
abrir-se a qualquer forma de sentimento.
É analisá-los interiormente,
deixar todos os sentimentos de que somos dotados fluir sem barreiras,
sem medos, os maus, os bons, os pérfidos,
os sórdidos, os baixos, os elevados, os mais puros, os melhores,
os santos.

Só quem deixou fluir sem barreiras,
medos e defesas todos os próprios sentimentos,
pode sabê-los, de senti-los no próximo.
Espere florescer a árvore do próprio sentimento.
Vivendo, aceitando as podas da realidade e se possível fecundando.
A verdade é que só sabemos o que já sentimos.
Podemos intuir, perceber, atinar;
podemos até, conhecer. Mas saber jamais.
Só se sabe aquilo que já se sentiu.

ARTUR DA TÁVOLA

☜♡☞...☜♡☞

☜♡☞...☜♡☞

domingo, 18 de junho de 2017

☜♡☞..."CATADORA DE LINDEZAS"...☜♡☞


Eu venho de lá onde o bem é maior.
De onde a maldade seca, não brota.
De onde é sol mesmo em dia de chuva e chuva chega como benção.
Lá sempre tem uma asa,
um abrigo para proteger do vento e das tempestades.
Eu venho de um lugar que tem cheiro de mato,
água de rio logo ali e passarinho em todas as estações.
Eu venho de um lugar em que se divide o pão,
se divide a dor e se multiplica o amor.
Eu venho de um lugar onde quem parte fica para sempre,
porque só deixou boas lembranças.
Eu venho de um lugar onde criança é anjo,
jovem é esperança, e os mais velhos são confiança e sabedoria.
Eu venho de um lugar onde irmão é laço de amor e
amigo é sempre abraço.
Onde lar acolhe para sempre como o coração de mãe.
Eu venho de um lugar que é luz mesmo em noite escura.
Que é paz, fé e carinho.
Eu venho de lá, e não estou sozinha, “sou catadora de lindezas”,
sobrevivo de encantamento, me alimento do que é bom, do bem.
Procuro bonitezas e bem querer,
sobrevivo do que tem clareza e só busco o que aprendi a gostar,
não esqueço de onde venho e vou sempre querendo voltar.
Meu lugar se sustenta do bem que encontro pelo caminho,
junto à maços de alfazema e alecrim.
Ah sim, sou como passarinho carregando a bagagem de bondade,
catando gravetos de cheiro, para esquentar e sustentar o ninho...
Talvez a vida tenha feito você acreditar que este lugar não existe.
Te digo, tem sim, é fácil encontrar.
Silencie, respire, desarme-se, perceba, é pertinho.
Este lugar pulsa amor, é dentro da gente, é essência,
está em cada um de nós.
Basta a gente querer e buscar.

__RITA MAIDANA__

☜♡☞...☜♡☞

☜♡☞...☜♡☞

terça-feira, 13 de junho de 2017

☜♡☞...DA COMPAIXÃO...☜♡☞



Exercitai, sempre, a compaixão.

Pois, assim como no gelo as flores não brotam,
também no coração empedernido não germinará a felicidade;
e aquele que não cuida do seu irmão
não se mostra digno de olhar a face do Pai.

Verdade é que o sofrimento caminha sobre a Terra.
E assim acontece porque cada homem se preocupa consigo mesmo,
quando deveríeis dar-vos as mãos,
para que juntos pudésseis caminhar.

Atentai para o vosso futuro.
Porque eu vos digo que,
assim como um pai sente em seu coração as lágrimas de seus filhos,
também no Universo reverberam as dores de todos os seres vivos.

E não estará cumprida a missão do homem,
enquanto o sofrimento visitar o seu irmão.
E não cessará a jornada,
enquanto um único homem ainda trilhar
os caminhos do aprendizado e da dor.

Deveis, pois, abrir os vossos corações.
Porque é só assim que podereis avaliar as dores dos vossos irmãos;
e só ao senti-las sereis verdadeiramente capazes
de lhes trazer o alivio de que necessitam

E mesmo o mais pobre dos homens perceberá,
na vossa voz e no vosso olhar,
o interesse sincero e o afeto espontâneo.
E menos infeliz se sentirá,
ao ver que não se encontra verdadeiramente só.

Generoso é, em verdade,
aquele que distribui os seus bens para mitigar
a fome e a sede de seus irmãos.
Entretanto, é preciso doar de vós mesmos,
para que possais entender a verdadeira compaixão.

Porque a compaixão não busca o reconhecimento,
mas em si mesma encontra a própria recompensa.
Como a árvore,
que ao doar os seus frutos assegura a própria sobrevivência.

É ao alimentar o filho, através do seu próprio sangue,
que a mãe encontra a sua maior realização.
E, se isto acontece em nome do amor,
deixai-me dizer que a compaixão não é mais do que o amor universal.

É no amor, que a compaixão tem as suas raízes.
E para que a possais tornar parte de vós,
necessário se torna que aprendais a amar aos vossos irmãos,
como a vós mesmos o fazeis.

Quando o tiverdes conseguido,
é de outra forma que entendereis a Vida.
E a paz se espalhará pelo mundo,
e não mais necessitareis das vossas fronteiras,
nem dos vossos exércitos, nem dos vossos idiomas,

Buscai a compaixão.
E encontrareis a linguagem do amor universal.

__HASSAN__

☜♡☞...☜♡☞

☜♡☞...☜♡☞

terça-feira, 6 de junho de 2017

☜♡☞ALGUÉM QUE AMA MAIS☜♡☞


Sempre haverá alguém que ama mais.


Aquele que, buscando prolongar o amor,
muitas vezes chegará a anular a própria vontade.
E, assim fazendo,
encurtará o tempo de duração da sua história.

Porque o amor tem na plenitude o seu maior encanto.
E não existirá plenitude entre dois amantes,
se cada um não puder expressar os seus próprios desejos.

Pois não existe, sob o sol, alguém que não se sinta incompleto.
É por isto que buscais o amor:
para que possais encontrar a parte que vos falta,
a outra metade de vós.

E é por isto que são efêmeros os vossos amores.
Porque ninguém existe que seja a outra metade de alguém;
cada um de vós é um mundo à parte,
com as suas próprias paisagens.

Não é em outra pessoa, que encontrareis o que vos falta;
mas em vossos sentimentos.
Pois é através do verdadeiro Eu,
que o homem se pode ligar ao Universo.

Apenas assim, encontrareis a plenitude.
Pois a centelha divina que existe em vós se ressente do exílio,
e seu maior desejo é reunir-se ao Cosmo, ao qual pertence.

É esta a origem da vossa inquietação.
E não conhecereis a paz,
enquanto a vossa alma não conhecer esta verdade;
enquanto cada homem não aceitar a si mesmo.

Por isto, sempre existirão mãos que se entrelaçam.
E que um dia se separarão,
para acenar um derradeiro adeus;
não ao amor, mas à esperança que se vai.

Sempre existirão bocas que se beijam,
entre palavras de carinho e desejo.
E que um dia buscarão as palavras mais duras,
para magoar a quem juravam amar.

Sempre existirão olhos que se fitam,
e trocam mensagens de amor.
E que um dia se entregarão a lágrimas de tristeza e saudade,
ou de revolta e frustração.

Sempre existirão corpos que se encontram e penetram,
e no calor do orgasmo escapam ao tempo e ao espaço.
E um dia sentirão o frio cruel da solidão.

Sempre haverá alguém que ama mais.
E talvez para ele seja mais dolorosa a separação.
Decerto, entretanto, será o mais feliz enquanto durar o amor.

Porque com mais intensidade viverá o seu sonho.

__HASSAN__

☜♡☞...☜♡☞

☜♡☞...☜♡☞