sábado, 16 de abril de 2016

☜♡☞...UM MUNDO Á PARTE...☜♡☞


Julgais, acaso, que podeis viver em um mundo à parte?
Desiludi-vos, se assim pensais. Porque este é o mundo em que viveis; e ele se encarregará de trazer-vos à realidade, de cada vez que vos perderdes em sonhos que não podeis realizar.

Assim precisa ser. Por que a ave, embora passe a maior parte do seu tempo a voar no céu, necessita de um ninho onde depositar os seus ovos e descansar o seu corpo cansado das viagens.
E o artista, ainda que a sua alma vagueie por mundos insondáveis e viaje por universos apenas sonhados, necessita de um teto sobre a cabeça, alimento no estômago e um local onde durma.

Este, onde viveis, é o mundo das trocas. Aqui nada recebereis, sem que algo vos seja levado; aqui nada possuireis, a menos que alguma coisa tenhais feito para conquistardes a sua posse.
Este é o mundo que chamais real. Como se a realidade estivesse apenas no que podeis tocar, cheirar, ouvir e ver; como se não existisse outra realidade, que a vossa alma pressente.

Jamais podereis viver em mundo à parte, porque o vosso corpo vive no agora; um tempo em que as necessidades são imperiosas e prementes, e precisais satisfazer os seus reclames.
Esta é a verdade. E como podereis viver em um mundo à parte, se é neste mundo onde estais que, em cada dia, precisais ganhar a vossa subsistência, para que vos seja possível seguir adiante?

E como podereis viver em um mundo à parte, se o mundo onde viveis tem as suas regras, que vós mesmos criastes para garantir o vosso direito às coisas de que necessitais para sobreviver?
Jamais tereis o vosso mundo à parte, enquanto viverdes no agora. Porque o tempo é fugaz e escorre por entre os vossos dedos; não pode escrever versos, aquele que necessita cultivar o trigo.

A todo instante, fazeis as vossas escolhas. E como o caminhante sedento, que precisa escolher o cantil e desprezar a rosa, guiai-vos sempre pelas necessidades de cada momento.
É assim que fazeis. Recordai, porém, que existe um tempo para cada coisa; e o mesmo homem que desprezou os versos para cultivar a terra, pode encantar-se com a canção do vento no trigal.

Pois o vosso corpo vive no agora, mas na Eternidade mora o vosso verdadeiro Eu. E de vós depende que a vossa alma passeie nos jardins do amanhã, uma vez cumpridas as vossas tarefas.

Porque, eu vos tenho dito, há uma parte de vós que não está limitada pelo tempo, nem pelo espaço; salta entre cometas, deita-se em meio às estrelas, viaja entre o ontem, o hoje e o amanhã.
E é um mundo à parte, dentro de vós.

__HASSAN__

☜♡☞...☜♡☞

☜♡☞...☜♡☞

Nenhum comentário:

Postar um comentário