terça-feira, 28 de julho de 2015

☜♡☞...A LENDA DA HARPA PERDIDA...☜♡☞



☜♡☞...NO PAIS DOS SONS...☜♡☞

Vlatam é um pais encantado. Existe dentro de nós. Não o vemos ou tocamos. Podemos apenas senti-lo através de poros auditivos. Poucos o percebem. Muitos se negam a conhecê-lo. Para outros, sua existência é vital.
Vlatam é o pais dos sons imaginários.
Instrumentos exóticos brotam das terras férteis desse país. Habitado somente por músicos, senhores das melodias.
Na terra dos músicos, há melodiosa brisa cor púrpura povoando o infinito. Não há tempo real, apenas momentos musicais.
Breves semibreves. Mínimas semínimas. Fusas difusas. Pausas. Claves de Sol e de Fá. Todas vivendo harmoniosa sintonia. Graves agudos. Tons semitons. Dissonantes presenças, suaves ausências.
Governam Vlatam, entes fantásticos. Sérios.
Misteriosos castelos verticalizam seu horizonte que se perde no tempo, em contratempo. Destempero de vida.
Acontece sem temor. Voraz, veemente, constante e fugaz. Estremece dormentes, atordoa e sente.
Uma corrente. Entrelaçar de raízes profundas. Difunde. Explode sensações.
No âmago dos habitantes de Vlatam, permanece intacto o prazer de existir. Vivem a música. Saboreiam melodia. Sonham ritmo. Arritmia de ventos, mares, florestas profundas.
E há Link. É um garoto de olhos dourados. Lânguidos e fortes braços fazem Link superior a todos músicos da terra encantada. Sendo reconhecido mestre supremo dos harpejos. Ninguém dedilha uma harpa, com tanta leveza e superioridade.
Ao sentir o olhar dourado e os dedos harpejantes, não há corda que resista. Logo começam a vibrar doces, sonoras melodias celestiais. Tilintam serenas.
Link possui uma harpa mágica, chamada Hardante. Foi presente da Corte dos Veneráveis de Vlatam, após vencer o grande Festival de Verão de Harpas, no país dos sons.
Corre em suas veias, o ritmo, as notas musicais, a harmonia, melodia, sintonia do seu mundo sonoro. Link é todo poesia em forma de sons. Ele e Hardante são inseparáveis.
E também, Vlatam, o pais dos sons, não poderia existir sem Link, o Mestre Supremo e Hardante.
Com a tríade, tudo se mantinha na mais perfeita harmonia entre os habitantes de Vlatam.
Todos são músicos. Executam divinas melodias, nos mais diversos e exóticos instrumentos já mencionados na História da Música Universal.
Como já mencionei antes, os instrumentos tinham raízes profundas no país dos sons. Brotavam das terras férteis de Vlatam. Nunca houve tempos em que faltasse qualquer tipo de instrumento ou sons. É uma terra encantada, abençoada pelos Magos do Bem e do Mal.
Os habitantes, vivem felizes em suas casas. Umas sobre grandes montanhas. Outras em vales cortados por rios. Muitas na orla marítima. Casas feitas de pedras especiais, acústicas, de onde o som não pode sair, nem entrar. Todos podem tocar livremente sem perturbar seus vizinhos, músicos virtuosos.
Link, reside o mais lindo de todos castelos da Corte dos Veneráveis. Há um salão central, onde descansa Hardante, a harpa mágica. Seu altar é coberto de aveludados e rendados, tecidos por tecelãs da Corte.
Link sente-se orgulhoso de tão grande responsabilidade: a de guardar e tocar a harpa mágica de Vlatam, a qual mantém o equilíbrio sonoro do país, não permitindo que sons indesejáveis perturbem seus moradores compenetrados, sérios e felizes.

☜♡☞...NO PAÍS DOS VENTOS...☜♡☞

Em outro ponto do Universo dos Sons, não muito longe de Vlatam, há o país dos ventos, Vesuvux.
É , também, um pais muito interessante. Existe dentro de nós, assim como Vlatam.
A diferença, é que Vesuvux todos podemos perceber, sentir. É um furacão de sentimentos. Vendaval de raiva e ódio que nos apodera de quando em quando.
País de ventos, conturbado, triste, chuvoso e sem cor. Seu único som é o vento, sempre impetuoso e mau.
Os habitantes, não medem esforços para fazer ruídos estrondosos. Rastros de terror ficam por onde passam. Habitam os céus, apenas. São seres alados, de toda espécie, tamanho, natureza.
O país dos ventos, se resume num deserto enorme, onde só há céu. Onde atuam forças do bem e do mal.
Não há Corte dos Veneráveis, heróis. Nem florestas, rios, mares. Apenas o céu ventando incansável e triste. E seus moradores alados, sem rumo, voam, voam, voam.
Por mais falta de organização que possa existir num pais, sempre haverá um líder por natureza. O líder de Vesuvux é uma pantera alada branca, com penas de cisne nas asas. Seu nome, Aventux.
Esse ser estranho, não faz nada de extraordinário, apenas nasceu para liderar fantoches alados. Seres sem vontade própria. Sem futuro. Sem propósito existencial. São o quê são, apenas. Nada fazem para melhorar sua qualidade de vida ou sobrevida. Submetem-se ao nada, à falta de vontade, de esperança, felicidade, sonho, utopia.
A ausência de vontade dos habitantes alados do país dos ventos, deram a Aventux a capacidade de liderá-los. Outra particularidade da pantera alada branca, é que foi encantada pelo Mago dos Ventos do Mal. Este a incumbiu de roubar um certo instrumento que produzia sons divinos, capaz de devolver aos habitantes inertes de Vesuvux, a vontade de viver. O som
desse instrumento mágico possuía grandes poderes sobre todos seres do Universo dos Sons, mesmo os que produziam sons horripilantes.

☜♡☞...LINK SOB ALERTA...☜♡☞

Voltando ao país dos sons, Vlatam, acontecia algo estranho na Corte dos Veneráveis. Todos, muito sábios, pressentiam que alguma desgraça ameaçava aquela felicidade ímpar.
Link e Hardante, logo foram avisados. Alerta incansável, pois o mal estava próximo. Link, contudo, continua a tocar sua harpa mágica, na tentativa de acalmar a Corte e o povo.
Apesar de garoto, é muito experiente, astuto e sábio. Há alguns anos, ouvira do Mago do Bem, que deveria estar sempre alerta e prevenido contra qualquer interferência maligna dos Magos do Mal. Sente-se preparado. Ouvira, também, por intermédio dos mesmos, sobre a existência do país dos ventos, que invejava a felicidade reinante em Vlatam.
Uma noite, muito faminto e cansado, serviu-se das iguarias oferecidas todos os dias, nos mesmos horários. Satisfeito, porém exausto, voltou-se para Hardante e tocou uma melodia narcotizante. Esta provocou uma dormência em seu corpo cansado, deixando-se cair em sono profundo. Ninguém havia percebido como poderia ter acontecido tal fato. Mais tarde, o Mago do Bem, esclareceu que foi obra do indesejável Mago do Mal. Além de dopar Link, desencantou Hardante, tornando-a indefesa e vulnerável.
Os Magos do Bem, tudo fizeram para descobrir um antídoto para Link, a única salvação para Vlatam. Tanta pesquisa, fez com que descobrissem a fórmula salvadora para o garoto.
Restabelecido e em pleno vigor, retomou sua vigília incansável no salão onde se encontra Hardante, sobre seu altar, muda, sem vida. Suas cordas não vibravam mais, diante do simples olhar dourado de Link.
Pesarosos, mas calmos, todos do país dos sons, procuravam manter suas rotinas. Tocando seus instrumentos virtuosamente, em suas casas de pedra acústica.
Na Corte, todos aguardam a desgraça eminente.

☜♡☞...O VÔO DE AVENTUX...☜♡☞

No país dos ventos, a euforia tornou-se maior. Os ventos uivam incessantes, incontroláveis. Seus habitantes voam com uma certa sádica alegria. Tudo porque souberam o grande feito do Mago do Mal.
O campo está livre para Aventux. Sente-se cada vez mais poderoso. Mesmo afoito, como não poderia deixar de estar, se contém. Foi uma ordem do Mago do Mal, para agitá-lo, levando-o para aventura e maldade.
Aventux não esperou nem um segundo. Pôs-se a voar até o país dos sons. Antes, despediu-se de seu povo, prometendo trazer a harpa mágica, a qual daria muita felicidade a todos de Vesuvux, o país dos ventos.
Deixando relâmpagos e trovões por onde voava, grande pânico desencadeou nos países vizinhos.
O terror foi derramado com a chuva faiscante das nuvens, por onde, com furor, penetrava.

☜♡☞...O RAPTO DE HARDANTE...☜♡☞

Em Vlatam, o povo já não conseguia mais tocar. Reinava grande silêncio por toda Corte. Essa ausência de melodias, causou um torpor incontrolável em Link.
Durante uma noite tempestuosa, chegou Aventux. Raptou a harpa mágica e desapareceu tão logo a tempestade cessou.
Ao amanhecer, os habitantes de Vlatam, perceberam a grande catástrofe ocorrida na noite anterior.
Link, desesperado, não sabia o que fazer. Ficou desorientado. Recorreu à Corte dos Veneráveis, que já estava reunida.
Por unanimidade, elegeram Link, o Procurador. Deram-lhe um amuleto dourado com uma grande Clave de Sol desenhada e o abençoaram. Partiu à procura da harpa perdida.
Link sabia dos riscos e assim mesmo seguiu decidido em sua busca.
Antes da partida, houve uma solenidade. Numa grande cerimônia, um dos Veneráveis, o mais velho e sábio, avisou ao garoto dos olhos dourados, dos possíveis perigos durante sua viagem. Deram-lhe um belo piano de cauda branco voador, para que seu objetivo fosse alcançado com rapidez e alguns suprimentos, caso precisasse.
Link, após alguns segundos de vôo, percebeu suas dúvidas. Meio sem saber para onde ir e como ir. Mas seu piano voador já tinha a rota programada nas suas cordas e teclas.
O garoto não sabia muito bem por que havia sido escolhido, apesar de o desejar muito. Não imaginava qual a serventia do amuleto, mesmo assim, tentou relaxar e descansar, pois a viagem poderia durar uma eternidade.
Percorreu muitos países, tentou interrogar seus habitantes, mas nada obteve de concreto em termos de pistas, apenas que havia trovejado e relanpejado muito há alguns dias.
Não encontrou obstáculos no percurso, nem inimigos ocultos. Sua viagem tomava-se até monótona. Esperava ter pela frente, lutas com seres estranhos, aventuras por lugares desconhecidos, mas nada. Tudo transcorria na maior calma.

☜♡☞...A GRANDE TRAGÉDIA...☜♡☞

Aventux, durante sua viagem, encontrou inimigos. Teve dificuldades para carregar a harpa mágica, mas enfim, chegou a Vesuvux a salvo.
Todos permaneciam em grande festa nos céus. Voavam felizes, alegres, com esperança de uma Nova Era para o país dos ventos.
Com a chegada de Aventux, a euforia foi crescendo. A curiosidade aguçada, fez com que todos cercassem o grande herói, deixando-o sem saída. Exausto, não suportou mais o peso da harpa. Deixou-a cair do céu.
Todos foram obrigados a descer à procura da grande salvação de Vesuvux, a harpa mágica.
Por entre nevoeiros, com dificuldade, Aventux e os outros habitantes, encontraram a Hardante, toda quebrada. Suas cordas arrebentadas, enfim um desastre.
Desapontados, subiram ao céu, em busca do Mago do Mal, a fim de encontrarem um meio de concertar a harpa mágica e desencantá-la.
O mago, por sua vez, é tão mau, que negou-se a ajudá-los. Deixou-os completamente desestruturados, raivosos e lutando entre si.
Aventux, o líder, tentou conter a ira dos seres alados. Aos poucos, se auto destruíram vorazmente.

☜♡☞...A VOLTA TRIUNFANTE...☜♡☞

Link, sentia-se muito bem sobre o piano voador. Descansado, alimentado, sereno.
Logo, percebeu ao longe, um grande nevoeiro avermelhado.
Chegando mais perto, viu a desgraça que ocorrera.
Nenhum sobrevivente daquele país dos ventos. Vesuvux não existia mais. Apenas Aventux, aguardava sua chegada, sedento de vingança.
Incrível a mente dessa pantera tão bonita, deveria envergonhar-se por ter roubado algo tão precioso de Vlatam, mas não, estava irredutível. Sua única vontade, era matar Link.
Quando defrontaram-se, Link, sem saber como, levantou seus olhos dourados para Aventux, que logo ficou cego e caiu por terra.
Link, seguiu-o com seu piano voador, que tudo fazia sozinho. Chegando em terra, logo percebeu algo brilhando por entre o nevoeiro. Foi mais perto. Qual não foi sua surpresa , quando encontrou Hardante, estilhaçada. Logo lembrou-se do amuleto da Clave de Sol. Olhou a harpa e levantou o amuleto aos céus.
Foi deslumbrante o que ocorreu em seguida.
A harpa mágica, brilhava como fogo. Recompunha-se vagarosamente. Suas cordas prateadas, tomavam seus lugares originais.
Enfim, estava salva.
Link, cuidadosamente, colocou-a sobre o piano voador e sumiu com os dois para o infinito céu do país dos ventos, que agora estava limpo, azulado, com o Sol crepuscular a reluzir toda beleza de seu ser e de Hardante, deslumbrante. O piano também brilhava, com a vermelhidão dos céus, tornou-se vermelho como um rubi lapidado.
Chegaram ao país dos sons.
Todos esperavam ansiosos e festivos. Os músicos reuniram-se na Corte dos Veneráveis, formando uma grande orquestra de sons celestiais, em homenagem à volta do herói e da sua harpa mágica.
Depois da grande festa, que estendeu-se até o amanhecer, exaustos, recolheram-se todos às suas casas, com seus instrumentos.
Link, também recolheu-se. Antes, colocou Hardante em seu altar. Cobriu-a com um tecido acetinado, transparente, o qual fazia com que a harpa repousasse tranqüila.
Dia seguinte, a paz reina novamente em Vlatam.
O Mago do Mal, definitivamente, foi expulso do país dos sons, reinando apenas o bem e a felicidade entre todos.

☜♡☞...DESVENTURA DE AVENTUX...☜♡☞

Quanto ao país dos ventos, emudeceu.
Aventux, cego, não conseguia mais voar e ficou à deriva, sem rumo, voando em círculos o resto dos tempos. Nunca mais retomou seu lugar de líder. Não havia mais liderados.
Enquanto voava sem direção, ouvia ao longe, uma voz harpejante cantando :

"FELICIDADE DOS BONS, RUÍNA DOS MAUS.
EIS A GRANDE VERDADE QUE EXISTE EM CADA UM DE NÓS.
SÓ O BEM SOBREVIVE NOS SERES
QUE SONHAM COM UM MUNDO MELHOR.
AOS PESSIMISTAS, A CEGUEIRA DOS POBRES DE ESPÍRITO !"


__Ligi@Tomarchio®__

☜♡☞...☜♡☞



☜♡☞...☜♡☞

Nenhum comentário:

Postar um comentário