sábado, 31 de agosto de 2013

☜♡☞A BORBOLETA E O BEIJA-FLOR☜♡☞




Era uma vez...
Como em todas as histórias, um Beija-Flor que se perdeu, pelo mundo.
Estava muito cansadinho.
Pensou consigo mesmo:
" O que faço agora?"
E voltou a voar.
Chegou num jardim, nos fundos de uma casa e resolveu entrar.
A princípio desconfiado e temeroso.
Tinha fome e sede.
Notou que havia um lugarzinho para beber e molhou o seu biquinho.
E agora?
Olhou a sua volta e viu flores!
Achei! Minha comidinha!
E, mais feliz, bebeu o néctar das papoulas,
camarões, hibiscos variados e outras flores mais.
Que banquete!
Vou descansar...
Porém,
viu e olhou para uma Borboleta que estava triste e sem rumo.
Paradinha, sem mesmo bater suas asas.
E, travaram o seguinte diálogo:
_ Borboleta, o que tens?
_ Estou cansada e triste.
Meu voar está lento e minhas asinhas não querem me obedecer mais.
_Não fiques assim, Borboleta.
Vou te dar um pouquinho do meu néctar, para ajudar-te a viver mais feliz!
_Vai mesmo?
Que felicidade!
Já procurei tanto e a ninguém achei.
_Mas agora, Borboleta, achaste a mim.
Não vamos mais nos separar.
Seremos amigos e eu tenho muito a te ofertar.
Não sou um Beija- Flor rico.
Sou rico dentro de mim.
Tenho riquezas incomensuráveis, mas só para os que sabem ver meu coração.
Ele é puro e quer que tu sejas uma borboleta muito feliz.
Tu vais aprender a amar outra vez.
O que passou, passou...
Não volta mais!
Agora, só terá as bênçãos de Deus e a mim,
para te completar.
_ A Borboleta incrédula ouviu o seu amiguinho e pensou:
" Não vou perder nada.
Tudo na vida é uma experiência nova."
_ E lhe falou:
_ Beija- Flor, irei contigo.
Já recobrei minhas forças,
já bebi do seu néctar e já me alimentei com a sua sabedoria e riqueza,
E, lado a lado, se prepararam para alçar voo e estão voando até hoje.
Um completa o outro:
Borboleta e Beija-Flor, uma história de muito amor!

Eda Carneiro da Rocha
☜♡☞

☜♡☞

Sempre acreditei que almas afins desconhecem
etnias, filosofias, opções religiosas,
distâncias físicas, e sim somente reconhecem-se
nos toques sutis que acariciam a alma,
como um simples gesto, uma palavra, um sorriso,
uma troca de intensas energias.
(Desc.Autor)

Nenhum comentário:

Postar um comentário