quinta-feira, 21 de outubro de 2010

" À DERIVA "



"À DERIVA"

Estou por aí ,a vagar..
sem destino,sem rumo
singrando a vida
jogada ao vento,
sem grilhões ,sem amarras...
não existe âncoras ,
no meu navegar

Nesses mares desconhecidos
Sou...livre
Uma musa sem poeta,
um poeta sem inspiração
uma platéia sem artista
um artista sem aplausos
Um palhaço sem circo,
um circo sem picadeiro


Estou à deriva,
sem pressa ,devagar a divagar
a capricho das ondas,
que me levam
a lugar nenhum,ou algum lugar,
longínquo ou perto,
quem sabera?

Mas quem sabe no vai e vem dessas ondas
não encontre um porto seguro onde possa
aportar e pousar
e em alguns braços me cansar descansar
ser a inspiração de um poeta
Me prender e aprender o verdadeiro sentido de
amar?
(DA)


Nenhum comentário:

Postar um comentário